Sulamita

- A Mais Bela Das Mulheres
Valdenira Nunes de Menezes Silva

" Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo" (Cantares de Salomão 5:2).

O livro "Cantares de Salomão", conhecido também como "Cântico dos Cânticos" ou "Poema de Amor", é visto pelo povo judeu como o livro do amor de Deus por Seu povo, Israel.
Cantares de Salomão é um livro onde lindas canções de amor são derramadas diante nós e onde vemos a mão de Deus dando amorosas pinceladas e transformando-o num verdadeiro poema.

Várias interpretações são dadas a ele:

1- O povo judeu vê, claramente, através dele, o amor de Deus por seu povo.
2- Alguns cristãos crêem que ele representa o amor de Cristo pela igreja.
3- Outros cristãos crêem que se pode ver nele o amor de Cristo pela alma de cada pessoa.
4- Alguns comentaristas o interpretam como o amor entre um homem e uma mulher.

E você, minha irmã, quando está lendo Cantares de Salomão, em qual destas posições você se coloca?
Quem sabe, algumas de nós, se coloca como sendo a própria sulamita?

Ah, como é doce e suave quando ouço do meu esposo, do meu amado, daquele que Deus colocou para eu amar por toda a minha vida ...
"Que belos são os teus amores, irmã minha! oh esposa minha! quanto melhores são os teus amores do que o vinho! e o aroma dos teus bálsamos do que o de todas as especiarias" (Cantares de Salomão 4:10). Talvez não estas mas muitas outras palavras bonitas ditas por ele são como um refrigério e um bálsamo para a minha alma!

Quando leio a história de Cantares de Salomão, tenho desejo de agir como ela ... amar aquele que é o esposo que Deus me deu e de ser amada por ele.
Em Eclesiastes 9:9 a Bíblia nos exorta a amarmos aquele que Deus nos deu, com um amor sem medida. Ele diz: "Goza a vida com a mulher [o marido] que amas, todos os dias da tua vida..."

Na nossa história, esta mulher, a sulamita, era amorosa e talvez a mais bela de todas as mulheres. Ela teve seus momentos de alegria por viver intensamente um amor tão lindo e apaixonado, e seus momentos de tristeza por estar, algumas vezes separada daquele seu tão grande amor.

Assim como vemos, hoje em dia, com muitos casais que se amam, a sulamita e seu amado se tratavam com muito amor e se comparavam com coisas engraçadas mas que, com certeza, eles mesmos ficavam lisonjeados ... Vejam este quadro:
O AMADO PARA A SULAMITA A SULAMITA PARA O SEU AMADO

1- "As éguas dos carros de Faraó, te comparo..." (Cantares 1:9). 1- "O meu amado é para mim um ramalhete de mirra" (Cantares 1:13).
2- "... os teus olhos são como os das pombas" (Cantares 1:15). 2- "Como um cacho de chipre nas vinhas de En-Gedi é para mim o meu amado" (Cantares 1:14).
3- "Pomba minha..." (Cantares 2:14). 3- "Qual a macieira ... tal é o meu amado" (Cantares 2:3).
4- "... não desperteis meu amor ..." (Cantares 3:5). 4- "O meu amado é semelhante ao gamo ..." (Cantares 2:9).
5- "Quem é esta ... perfumada de mirra ..." (Cantares 3:6). 5- "O meu amado é cândido ... (Cantares 5:10).
6- "Eis que és formosa amiga minha ..." (Cantares 4:1). 6- "As suas faces são como canteiro de bálsamo ..." (Cantares 5:13).
7- "... o teu cabelo é como o rebanho de cabras" (Cantares 4:1). 7- "Tal é o meu amado, e tal o meu amigo ..." (Cantares 5:16)

E você, minha irmã, como chama o seu amado?
Você é como aquele rio cujas águas correm amorosamente para o seu amado? Ou você é aquele rio seco, cheio de pedregulhos e sem nada para oferecer?
A sulamita era uma mulher apaixonada. Será que eu ou você somos também apaixonadas, amorosas e meigas para nosso marido? Se não somos assim, então temos que pedir ao nosso Pai do céu que nos transforme em mulheres cujas características sejam semelhantes às dela - amorosa, apaixonada e meiga.

A sulamita eram uma mulher que ansiava pelos beijos do marido, vagueava pelas ruas da cidade procurando o seu amado. Observando esta sua maneira de ser, de agir, podemos ver nela um amor romântico, um amor que quer agradar àquele a quem ela tanto ama. Podemos perceber que não é apenas um amor físico mas é muito mais do que isto ... é um amor verdadeiro, um compromisso para toda uma eternidade ... é um amor que não vê o passar do tempo, as transformações físicas mas se transforma em um amor amadurecido, mais forte e mais profundo. Podemos chamar este amor de amor duradouro, eterno e diferente da paixão que é passageira e parecida com um vapor que se esvai.

Ah amada irmã, este é o amor que quero ter por meu marido e, oro ao Senhor, que o mesmo amor ele possa ter por mim.

Na Bíblia, vemos homens e mulheres que se amaram com este mesmo tipo de amor - sincero, apaixonado e eterno. Dentre tantas histórias de casais que se amaram podemos citar a história de...

1- Isaque e Rebeca - eles se amaram apesar de ter sido o servo de Abraão quem a escolheu para ele. Vemos que o Senhor agiu abençoando a vida dos dois.
2- Jacó e Raquel - eles se amaram apesar do pai dela, Labão, ter enganado Jacó. Além dos sete anos que ele havia trabalhado para poder se casar com a sua amada, teve que trabalhar mais sete, e isso porque a amava muito.
3- Elcana e Ana - eles se amaram mas tiveram que esperar muitos anos para poderem ter o primeiro filho e o dedicarem ao Senhor. Depois deste primeiro filho, que foi o profeta Samuel, eles ainda foram abençoados com muitos outros. Porque se amavam esperaram o tempo escolhido por Deus para receberem tamanha dádiva.

Vejam o que nos diz a irmã Ann Spangler em seu livro "Elas": "Se você foi tão afortunada em seu casamento a ponto de experimentar um amor que tenha pelo menos a metade da paixão descrita neste livro da Bíblia, leia-o à luz de sua história agradecendo a Deus pela bênção recebida. Mas, em caso negativo, fique satisfeita por saber que o amor do casal e sua expressão sexual são idéia de Deus."

Talvez, amada irmã, você não tenha o amor do seu marido do jeito que você gostaria. Talvez o seu marido nem viva mais com você. Mas, apesar de tudo isto, podemos ter certeza de que existe um amor que nunca se acaba, que é sincero e que deseja o melhor para nós. Veja que amor seguro ...
"Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Rom 8:38-39).

"Obrigada, Pai, porque Tu és um Pai que consolas. Tu és um Pai que nos ama e cuida de nós. Mesmo que ninguém neste mundo nos ame, Tu nos amas e nada poderá nos separar do Teu amor que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Amém!