Miriã

Irmã De Moisés E Arão
Valdenira Nunes de Menezes Silva


“E sua irmã postou-se de longe, para saber o que lhe havia de suceder;” (Êxodo 2:4)



1- MIRIÃ MENINA

Miriã era a irmã mais velha de Moisés, a criancinha que havia sido colocado num cesto de junco a fim de que fosse salvo da morte.
O decreto de Faraó foi desumano, duro e impiedoso: Toda criança hebréia do sexo masculino deveria ser morta... e a menina Miriã sofria por causa do irmãozinho recém-nascido.
Filha de Joquebede e Anrão, ela sabia que a situação era difícil mas...

1- ela aprendeu com seus pais a confiar no Senhor. Seu coração sabia que a situação não era fácil e por isso ela tinha medo... ela tinha somente doze anos... era ainda uma criança;
2- ela aprendeu com seus pais a amar seus irmãos. Certamente, ela juntamente com eles, orava ao Senhor pela vida do seu irmão. Ela o amava e não queria que ele morresse;
3- ela aprendeu com seus pais a ser fiel à família. Ela espreitava de longe o rumo do cesto que havia sido lançado no rio Nilo e onde se encontrava o seu irmãozinho Moisés. Ela, apesar de ser ainda uma criança, não revelou a ninguém que seu irmão estava escondido em sua casa para não ser morto. Ela aprendeu a ser fiel e leal à sua família.

Irmã, como filha de Deus e como mãe que ama o filho, tenho que incutir nele princípios que o ajudarão, no futuro, a ser um homem, como foi o rei Davi, segundo o coração de Deus.
É uma bênção quando estou andando com o Senhor, amando-O, obedecendo-O e seguindo a Sua Palavra que sempre é “Lâmpada para os meus pés” e “luz para o meu caminho” (Salmo 119:105). E é, então, quando tenho aquela comunhão que é um aroma suave para a minha alma. E, quando estamos nesta maravilhosa comunhão, devemos nos lembrar que temos filhos que precisam também aprender do amor de Deus por nós e do Seu amor sacrificial por toda a humanidade.

Miriã, mesmo sendo tão jovem, tinha uma natureza forte e decidida. Tudo isto ela aprendeu com sua mãe Joquebede que a ensinava a ser fiel, ter diligência, responsabilidade e prudência.
Ela foi cuidadosa, amorosa por cuidar, mesmo de longe, do seu irmão Moisés que era levado pela correnteza do rio.
Ela foi cuidadosa e amorosa ao perguntar à filha de Faraó: “... Irei chamar uma ama das hebréias, que crie este menino para ti?” (Êxodo 2:7b) Sabemos que esta hebréia era a sua própria mãe Joquebede. Vejam a providência e cuidado do Senhor.

Minha irmã, façamos como nos aconselha a nossa irmã e escritora Elizabeth George: “Cultive fortes laços familiares. Ponha em prática a ‘mentalidade dos três mosqueteiros’, que é ‘um por todos e todos por um’. Esforce-se para que cada pessoa da família apóie e incentive as outras.” E ela ainda diz: “Ensinar seus filhos a ter amor, misericórdia, zelo e compaixão, bem como diligência, fidelidade, responsabilidade e prudência, virtudes que vemos em Miriã, começa com você, querida mãe. Seus filhos serão um espelho de seus méritos (bons exemplos). O que eles vêem em você e o que aprendem com suas ações: Você ceifará aquilo que semear (Gálatas 6:7)!”

2- MIRIÃ MULHER

Vamos, agora, falar sobre Miriã mulher. A Bíblia nada diz sobre a sua vida amorosa. Não sabemos se ela tinha marido ou filhos mas é bem provável que ela não tenha se casado.
Em nenhum momento, vemos uma Miriã abatida, triste ou desesperada por não ter se casado. Ao contrário, vemos nela uma mulher que se dedicou inteiramente ao ministério de servir ao Senhor.
Miquéias 6:4 nos diz: “Pois te fiz subir da terra do Egito, e da casa da servidão te remi; e enviei adiante de ti a Moisés, Arão e Miriã.”
Podemos ver, através deste versículo, que o Senhor estava usando Miriã como uma líder de Israel juntamente com seus irmãos.

Ouvir o chamado do Senhor e exercer o ministério que Ele coloca diante de mim é um ato de obediência e alegria de poder servir ao Senhor que não mediu esforços de me tirar “dum lago horrível, dum charco lodo” e por “os meus pés sobre uma rocha” e além de tudo isso ainda “firmou os meus passos” (Salmo 40:2). Que Deus maravilhoso é o nosso Deus!

E quanto a você, amada irmã? Será que esstá ouvindo o chamado do Senhor?
Será que você tem uma voz belíssima mas não quer usá-la para louvar e glorificar a Deus... porque tem vergonha e não quer perder tempo ensaiando? Afinal de contas o “seu tempo” é muito “precioso”!
Irmã, trabalhe para o Senhor com amor, com alegria e muita disposição! Fazer qualquer coisa para o Senhor é uma privilégio!
Você pode até dizer: “Mas eu não sei fazer nada! Irmã, existe um sem número de ministérios que eu ou você poderemos exercer para o nosso Deus. Eu ou você podemos...

* Cantar hinos que, realmente, louvem ao Senhor. Efésios 5:19 diz: “Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração.”
* Ensinar a Palavra de Deus àqueles que não a conhecem. Atos 6:42 diz: “E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar Jesus Cristo.”
* Exortar os irmãos que estão desviados, desanimados e sem vontade de servir ao Senhor. Hebreus 3:13 diz: “Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado.”
Além destes ministérios, ainda podemos ajudar na limpeza do templo, ajudar um doente, levando uma refeição para ele, visitar uma pessoa inválida, doente ou visitar uma pessoa deprimida por perder um ente querido, ajudar na preparação da ceia do Senhor... e muitas e muitas coisas que podemos fazer se ouvirmos a voz do nosso Deus que usa a Sua Palavra ou mesmo pessoas para nos instruir. Deus nos quer no Seu trabalho. Arregacemos as mangas e trabalhemos com amor na obra do Senhor.

Uma última coisa que gostaria de falar sobre Miriã é que , apesar dela ter tantas qualidades boas, ela fez algo que desagradou ao Senhor. Primeiramente, vamos ler Números 12:1-2 e observemos o que a Bíblia diz sobre Miriã: E falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita. E disseram: Porventura falou o Senhor somente por Moisés? Não falou também por nós? E o Senhor o ouviu.”
Agora, vejamos o que a Bíblia nos diz sobre Moisés em Números 12:3: “E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra.”
Vemos, então, o seguinte quadro:
Miriã – mulher com espírito de inveja.
Arão – homem com espírito de inveja.
Moisés – homem mui manso.

Irmã, você tem este mesmo espírito de inveja que tinham Arão e Miriã ou tem o espírito manso como tinha Moisés? Ainda é tempo de você mudar o seu coração e ser uma mulher mansa parecida com Moisés. Uma mulher que agrada ao Senhor.

"Ah Senhor! Quem dera eu fosse como Moisés! Quem dera eu tivesse esse espírito manso, compassivo e cheio de amor e misericórdia pelas pessoas!
Ajuda-me, Pai, a ser a mulher que Tu desejas que eu seja!
Quero viver, Senhor, apenas para Te amar, Te adorar e ter uma vida exemplar para poder mostra a meu marido, a meus filhos e ao mundo que eu Te respeito e Te amo com toda a minha alma."
Amém!

O Senhor ouviu as reclamações de Miriã e a chamou juntamente com Arão e Moisés para se reunirem na tenda da congregação. Lá, Ele disse: “Ouvi agora as Minhas palavras; se entre vós houver profeta, Eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer ou em sonhos falarei com ele.
Não é assim com o Meu servo Moisés que é fiel em toda a Minha casa.
Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas, pois, ele vê a semelhança do Senhor; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o Meu servo, contra Moisés?” (Número 12:6-8).
Quando o Senhor se retirou, Miriã ficou apavorada, com o corpo todo coberto de lepra e, certamente, todos olhando para ela, assustados.
Moisés que amava a sua irmã e tinha uma comunhão perfeita com o Senhor, procurou interferir em seu favor. Ele pediu que a curasse e que tivesse misericórdia dela.
O Senhor ouviu a oração do seu fiel servo mas, como um Pai cuidadoso, Ele desejava ensinar àquela filha que Ele tanto amava a agir do modo correto a fim de que ela nunca mais caísse no mesmo erro. Ele, então, pediu as Moisés que a retirasse do acampamento e a deixasse longe, por causa da lepra, por sete dias. Este exílio forçado a fez refletir no seu erro, nas suas palavras invejosas e a fez reconhecer que havia pecado, primeiramente, contra Deus e depois contra o seu irmão Moisés.

Eis aí, irmã, um exemplo de Pai que ama o filho. O pai que ama, disciplina. O pai que ama faz o que a Palavra de Deus manda fazer: “Educa a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

A história da vida de Miriã nos mostra como Deus é um Deus justo mas é um Deus que perdoa pecadores. Vemos que, apesar dela ter que passar sete dias separada de todos, sofrendo por causa da doença, por causa do seu erro, ela voltou para o acampamento sarada e, o mais importante, perdoada pelo Deus a quem ela servia e, com certeza, amava.
A própria Bíblia nos dá esta certeza de perdão da parte de Deus. Vejamos três versículos que mostram a misericórdia de Deus...
“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de Seus benefícios. Ele é O que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara toas as tuas enfermidades” (Salmo 103:2-3).

“Quem é deus semelhante a Ti que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança?” (Miquéias 7:18).

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (1 João 1:9).

“Pai, obrigada pelas tantas vezes que me perdoaste, mesmo sendo eu infiel a Ti e Te desobedecendo.
Obrigada, Senhor, por punir-me na hora certa.
Obrigada, porque és um Pai amoroso e que se importa comigo.
Toca bem fundo no meu coração para que eu não peque contra Ti, nem contra o meu próximo. Mas se eu pecar, Senhor, ajuda-me a reconhecer o meu erro e que eu possa me arrepender.
Ponha alegria em meu coração quando eu vir que Tu me perdoaste.
Obrigada pela Tua paciência e amor por mim.
Amém!

Miriã
Mara Bueno Consani

(Seu nome pode significar “amargura”)

Seu caráter:
Mesmo quando ainda jovem, ela mostrou ter espírito forte e sabedoria. Uma líder do povo de Deus num momento crucial da história. Foi ela quem dirigiu a celebração depois da travessia do Mar Vermelho e que transmitiu a Palavra de Deus ao povo, compartilhando com eles sua jornada de quarenta anos no deserto.

Seu sofrimento:
Ter ficado leprosa por causa do seu orgulho e insubordinação e não ter podido entrar na Terra Prometida.

Sua alegria:
Ter desempenhado um papel importante na libertação do povo de Deus, não que amava.

Textos-chave:
Êxodo 2.1-10; 15.20-21; Número 12.1-15

SUA HISTÓRIA
“Devo ficar sete dias longe do acampamento do meu povo, uma mulher velha, cercada pelas lembranças do que aconteceu.
“Como pude esquecer meus anos no Egito, o grito das mães cujos filhos foram assassinados ou os gemidos de nossos irmãos enquanto trabalhavam até a morte? Só tenho de fechar os olhos para ver – o muro de água, os soldados nos perseguindo através do mar, o som deles se afogando ruidosamente e, no final, o silêncio e a paz. Como sinto falta do canto das mulheres que dirigi naquele dia, dançando à beira-mar, louvando a Deus por ter lançado nossos inimigos nas águas profundas, certa de que não mais os veríamos.
Mas nós os vimos – sim, vimos nossos inimigos, embora não fossem os egípcios. Deixamos que a ingratidão nos espreitasse e roubasse nossas bênçãos. Preferimos os alhos e o alho-porro do Egito, o alimento de nossa escravidão, ao maná que o bom Deus nos deu. Escravizados ao medo, recusamos-nos entrar na terra prometida.
Vezes sem conta, Moisés, Arão e eu exortamos o povo a ficar firme, a ter fé e a obedecer a Deus. Mas chegou um dia em que Arão e eu não pudemos mais apoiar nosso irmão. Falamos, então, contra ele e sua mulher cusita. Que parte tinha ela, uma estranha a nosso sofrimento, na promessa? Desafiamos, assim, Moisés. O Senhor só falaria por meio dele? Merecíamos compartilhar, em partes iguais, da autoridade dele, ter o mesmo direito de guiar o povo.
Mas o Senhor que fala ouviu também nossas queixas e chamou nós três para ficar diante dele na Tenda da Reunião. Dirigiu-se a mim e Arão com palavras terríveis.
“Quando a nuvem da sua presença finalmente se levantou, eu estava leprosa. Pude ver o horror estampado em cada face que me fitava. Arão suplicou a Moisés que perdoasse a nós dois, e Moisés clamou ao Senhor para que me curasse.
“O Senhor respondeu: ‘Se seu pai tivesse cuspido no rosto dela, não ficaria em desgraça durante sete dias? Mande que ela fique fora do acampamento durante sete dias; depois disso pode ser trazida de volta’. Fiquei, pelo menos, sabendo que meu exílio seria temporário, que minha doença era temporária.
“Vejo, agora, que meus inimigos não estavam apenas sepultados no mar, mas moravam no meu próprio coração. Mesmo assim, Deus permitiu que eu vivesse, e creio que vai me curar. Embora traga sofrimento, Ele também mostra compaixão Uma coisa sei: o Senhor lançou meu orgulho no mar, e por isso também cantarei louvores a Ele”.
Embora as Escrituras não revelem os pensamentos de Miriã, nem a atitude de seu coração depois de ter sido castigada por queixar-se de Moisés, não é errado pensar que ela tenha se arrependido durante os sete dias de seu afastamento. Não é, de fato, fácil para alguém que tem fé, embora culpado, ouvir Deus falar como se estivesse cuspindo em seu rosto e, ainda assim, persistir no erro.
É provável que Miriã e a própria nação precisassem de uma rejeição forte para reconhecer a gravidade de um pecado que ameaçava a unidade do povo de Deus.
Por que Arão não foi também afligido por causa de seu pecado?, talvez você se pergunte. Provavelmente porque Miriã parecia ser a chefe da torcida.
A última notícia que temos de Miriã é que ela morreu e foi sepultada em Cades-Barnéia, não muito longe de onde Agar encontrara um anjo no deserto muitos anos antes. Como os irmãos Moisés e Arão, Miriã morreu pouco antes de os israelitas terminarem sua peregrinação de quarenta anos no deserto. Ela também foi impedida de entrar na Terra Prometida.
Como eles, Miriã é igualmente uma das grandes heroínas da nossa fé. Quando jovem, ajudou a salvar o bebê Moisés, futuro libertador de Israel. Por ser profetisa, exortou e encorajou o povo de Deus, liderando também o primeiro salmo cantado nas Escrituras. Todavia, por mais forte que fosse a sua fé, como nós, ela pecou contra Deus e sofreu um castigo destinado a levá-la ao arrependimento.


SUA VIDA E SUA ÉPOCA
Danças
Nos dias bíblicos, o povo dançava para celebrar acontecimentos felizes e para louvar. A dança nas Escrituras está sempre ligada a alegria e a felicidade.
A primeira menção da dança nas Escrituras foi no relato que descreve Miriã dirigindo as mulheres israelitas na dança que celebrou a derrota milagrosa dos egípcios no Mar Vermelho, efetuada por Deus. Imagine, se puder, a emoção daquelas mulheres enquanto andavam (quem sabe até corriam?) por entre as paredes de água do Mar Vermelho, com os carros egípcios logo atrás delas. Com medo de perder a vida, chegaram sem fôlego à praia oriental, voltando-se a tempo de ver as águas descendo para afogar os egípcios e seus cavalos... uma fuga apertada, aterrorizadora.
Logo o medo deu lugar à alegria. Estavam livres! Quando Miriã passou com um tamborim cantando um hino de louvor a Deus, os pés das mulheres moveram-se para acompanhar o ritmo dela, suas vozes juntaram-se à dela na canção, e dançaram!
Os hebreus dançavam na adoração, geralmente em louvor a Deus por sua libertação dos inimigos (I Sm 18.6; Sl 149.3). Dançavam para celebrar eventos felizes, como casamentos e a volta de entes queridos para casa (Lc 15.25). Os hebreus, homens e mulheres, não dançavam juntos. Os homens quase sempre dançavam sozinhos como fez Davi diante da arca (II Sm 6.14), enquanto as mulheres dançavam juntas.
Há alguma evidência de que a dança fazia parte da adoração da primeira igreja cristã. Mas, segundo vários escritores cristãos primitivos, isso logo degenerou e deixou de expressar um louvor puro ao Senhor. Pouco tempo depois a dança foi banida.
Assim como Miriã e as mulheres não podiam deixar de dançar de alegria, quando Deus opera maravilhas em nossas vidas, algumas vezes reagimos quase da mesma maneira: nosso rosto se abre em um sorriso, nossas mãos se levantam e nossos pés não conseguem ficar parados! O Deus que criou o corpo humano certamente se agrada no uso santo desse belo instrumento para oferecer-lhe louvores.


SEU LEGADO NAS ESCRITURAS

Leia Êxodo 15.19-21
59. Descreva o que você acha que Miriã e as outras mulheres de Israel estavam pensando e sentindo enquanto atravessavam o Mar Vermelho. Depois de chegarem com segurança ao outro lado, por que você acha que dançaram para expressa louvor?
60. Como você acha que se sentiria naquela situação? Teria dançado ou teria usado outra forma de louvor a Deus? Em caso positivo, qual?

Leia Números 12.1-3
61. O que você pensa que Arão e Miriã tinham contra a mulher “cusita” de Moisés? Você acha que a mulher dele era o verdadeiro problema? Qual o motivo real, a verdadeira razão da reclamação deles?
62. Contraste o que os versículos 1 e 2 revelam sobre Miriã e Arão com o que o versículo 3 revela sobre Moisés. De que modo você é parecida com Miriã e Arão? De que modo se parece com Moisés?

Leia Números 12.4-9
63. Nesses versículos, o Senhor aparece na coluna de nuvem a Moisés, Arão e Miriã. Ele separa, então, Arão e Miriã e fala com eles. Porque estava tão zangado com eles?

Leia Números 12.10-13
64. Por que você acha que Miriã foi escolhida para ser castigada com a lepra e não Arão?
65. Em sua opinião, de que forma o castigo de Miriã deve ter afetado Arão?
66. Você já esteve numa situação em que uma pessoa foi castigada pelo erro de várias? Como isso fez você se sentir?

Leia Números 12.14-15
67. O que você acha que Miriã estava sentindo e pensando quando ficou sete dias fora do acampamento? O que você pensaria se estivesse no lugar dela?
68. Mesmo quando somos perdoados, temos, às vezes, que pagar o preço por nossos pecados. Por qual pecado você recebeu um castigo? Você se considera perdoada, mesmo quando os efeitos de seu pecado subsistem?


SUA PROMESSA
A história de Miriã oferece um exemplo extraordinário da disposição de Deus para oferecer perdão aos pecadores. Embora tivesse de sofrer as conseqüências por seus atos – sete dias de exclusão do acampamento longe de todos os que a amavam -, ela voltou como uma mulher perdoada. Centenas de anos mais tarde, Miriã é lembrada pelo profeta Miquéias como líder de Israel junto a Moisés e Arão (Mq 6.4).
Tal perdão libertador está a nossa disposição, como esteve disponível a Miriã. Deus olha nosso pecado em julgamento, espera pacientemente que nos arrependamos e oferece, desejando ardentemente que recebamos, seu perdão e aceitação. Nosso arrependimento transforma um legado de juízo e castigo em um legado de perdão e de valor diante de Deus.

Promessas nas Escrituras

“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios. Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades; quem sara todas as tuas enfermidades.” (Sl 103.2-3)

“Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniqüidade e te esqueces da transgressão?” (Mq 7.18)

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (I Jo 1.9)


SEU LEGADO DE ORAÇÃO

Cantai ao Senhor, porque gloriosamente triunfou e precipitou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. (Ex 15.21)

Medite
Números 12.1-15

Louve a Deus
Porque Ele disciplina a quem ama, cada filho que lhe pertence.

Agradeça
Porque a ira de Deus dura só por um momento, mas seu favor dura para sempre.

Confesse
Qualquer arrogância que pode ter entrada em seu coração, especialmente no que se refere a seu papel na igreja ou no trabalho.

Peça a Deus
Que a ajuda a lembrar que a disciplina é uma expressão de seu amor por seus filhos.

Eleve o coração
Se uma mulher como Miriã pode agir de maneira tão desagradável diante de Deus, nós também seremos capazes de pecar, não importando o que fizemos por Ele no passado. Gaste algum tempo, nesta semana, para fazer uma sondagem sincera de sua alma. Se descobrir qualquer coisa que desagrade a Deus, peça-lhe perdão. Não sussurre apenas uma rápida oração e pronto; permita que Ele veja que seu arrependimento é sincero. Experimente pegar algumas pedras pequenas e ir até um rio, lago ou lagoa. Ande devagar junto a água e fale novamente com Deus sobre sua tristeza. Depois, atire cada pedra na água, lembrando da canção de louvor de Miriã. Agradeça a Deus por livrar você de seus pecados, assim como libertou os israelitas do exército do Fararó que os perseguia.


Oração
“Pai, obrigada pelas vezes em que trataste comigo, por amar-me o suficiente para me punir. Ajuda-me a arrepender-me rapidamente, a perceber logo meu pecado, a fim de não precisares chamar minha atenção para ele. Permita-me depois, experimentar alegria por ter recebido teu perdão.”