EVA

EVA
Mara Bueno Consani

"Seu nome significa “doadora da vida” ou “mãe de todos os que têm vida”

Seu caráter : Ela veio ao mundo perfeitamente em paz com Deus e com seu marido, o único outro ser humano do planeta. Eva vivia no paraíso e desfrutava de todos os prazeres inimagináveis. Jamais conheceu vergonha, mal-entendidos, mágoa, separação, inveja, amargura, sofrimento ou culpa até dar ouvidos ao inimigo e começar a duvidar de Deus.

Seu sofrimento : O fato de ter sido banida com o marido do paraíso e da presença de Deus e de que o primeiro filho foi um assassino e o segundo, vítima dele.

Sua alegria : Provar o paraíso e receber a promessa de Deus de que seu descendente destruiria, no futuro, o inimigo.

Textos-chave : Gn 1:26-31 e Gn 2:4

SUA HISTÓRIA
A mulher mexeu-se e esticou-se, a pele macia e suave como a de um recém-nascido. Moveu um dedo, depois o outro, explorando delicadamente com as mãos o chão em que estava deitada, como um berço que a embalava. Ela podia sentir o calor invadindo todo o seu ser, fazendo cócegas em sua garganta enquanto tentava aproveitar tudo ao máximo, transbordando de alegria e de riso. Sentia-se cercada de mil prazeres ao mesmo tempo e, então, um toque a acalmou sem diminuir sua felicidade.
Seus olhos abriram-se para uma Claridade, seus ouvidos, para uma Voz. A seguir, uma voz mais baixa exclamou em jubilosa exaltação : “Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne” (Gn 2:3). Adão segurou-a nos braços, e o riso deles ecoou como rios que se encontram e desembocam na mesma foz.
O homem e a mulher andavam juntos no paraíso, nus e sem qualquer vergonha, à vontade consigo mesmos e com Deus. Nenhuma sombra cobria o Éden, nenhuma desordem, discórdia ou medo.
Certo dia, a serpente falou à mulher : “É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?[...] É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal” (Gn 3:1-5).
A mulher escutou. Lembrou-se da Claridade, da Voz de Deus que a enchera de alegria. Será que poderia mesmo ser como Deus? A dúvida e o desejo a invadiram até que ela não só colheu como também comeu o fruto e o deu ao marido. De repente, a escuridão entrou no Éden. Não procedia do exterior, mas sim do interior, irrompendo, enchendo as almas de sombras, desejos e miséria. A ordem deu lugar à desordem, a harmonia à discórdia, a confiança ao medo.
Em breve ouviram o som do Criador andando pelo jardim e se esconderam. “Onde estás?” perguntou Deus a Adão (v.9).
Ele respondeu: “Ouvi a tua voz no jardim e, porque estava nu, tive medo, e me escondi” (v.10).
O pecado penetrara em seus corações e Deus os baniu do Éden pronunciando juízo primeiro sobre a serpente astuciosa, que tentara a mulher, e em seguida sobre a mulher e o marido. O Senhor acrescentou esta promessa à maldição da serpente: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (v.15). Para a mulher, Deus disse: “Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará” (v.16).
A seguir, Deus advertiu Adão de que, depois de uma vida de trabalho árduo, sua força diminuiria até que seu corpo finalmente voltasse ao pó, do qual Deus o formara. A maldição da morte caiu subitamente sobre o novo mundo.
Assim, Adão e sua mulher saíram do paraíso e Adão a chamou de Eva, pois viria ser a mãe de todos os seres humanos. Porém, o primogênito deles, Caim, tornou-se um assassino e seu segundo filho, Abel, sua vítima.
Tristeza após tristeza invadiram o coração da primeira mulher e, quando a vemos pela última vez, já não deveria ser aquela bela criatura recém-formada pela mão de Deus, mas sim uma mulher angustiada. Sua pele danificada pelo sol e pela idade recobre os ossos, áspera e ressecada. Suas mãos, inquietas, agarram-se ao solo pedregoso em que está deitada, procurando algo para aliviar sua dor. Sente a criança em seu ventre, o corpinho procurando um meio de sair. Gritos de mãe e filho se ouvem como um coral em uníssono. E nasce Sete.
Com o filho aconchegado ao seio, o alívio começa a estampar-se no rosto de Eva. Enquanto descansa, um sorriso se forma e, finalmente, o riso brota em seus lábios. Por mais que tente, não consegue sufocar a alegria. Ela se recorda da Claridade, da Voz e da promessa que Deus fizera: mais cedo ou mais tarde, apesar de muitos sofrimentos, seu descendente iria esmagar a serpente. A mulher venceria.

SUA VIDA E SUA ÉPOCA
O Parto
Eva foi a primeira mulher a conceber um filho, a primeira a abrigar um óvulo fertilizado em seu útero. Será que compreendia o milagre que acontecia dentro dela, enquanto sua barriga aumentava e a criança começava a mover-se? Teria experimentado a maravilha do amor por uma criança ainda em seu ventre? A Bíblia não dá essas respostas, mas conta que Eva reconheceu que a vida estava sob o controle de Deus. Quando Caim nasceu, exclamou: “Adquiri um varão com o auxílio do Senhor” (Gn 4:1).
O castigo de Deus sobre Eva – “em meio de dores darás à luz filhos” – foi, sem dúvida, o que Eva experimentou no nascimento desse primeiro filho. É o processo apropriadamente chamado de trabalho de parto. Eva deve ter suportado as dores e passado por todo o processo de dar à luz com a ajuda de Adão.
Mais tarde, as mulheres hebréias eram assistidas por parteiras experientes, que conheciam recursos para as dificuldades comuns do parto. As responsabilidades das parteiras após o nascimento incluíam cortar o cordão umbilical, lavar o recém-nascido, esfregá-lo com sal para limpeza e depois enrolá-lo em faixas.
O “assento” mencionado em Êxodo 1:16 (Versão ARC) era provavelmente um banquinho baixo, sobre o qual a parturiente ficava de cócoras, permitindo que a força da gravidade ajudasse no processo do nascimento. A parteira e possivelmente outras parentes próximas seguravam as mãos da mãe para dar conforto e estabilidade, enquanto ela fazia força.
Através dos séculos, as mulheres tiveram de suportar os resultados do pecado de Eva. Se sofrimento no parto as une no laço comum de uma experiência vivenciada apenas por mulheres, a qual consiste numa combinação singular de coisas desta vida com elementos sobrenaturais. As dores e as contrações associadas ao nascimento de uma criança são da terra, da própria Eva. Mas o que surge desta experiência, bem como o laço entre a mãe e a criança, é sobrenatural, algo que apenas o Criador da vida poderia forjar.

SEU LEGADO NAS ESCRITURAS
Leia Gênesis 2:21-23
1. Descreva a situação de Adão. De que ele precisava no paraíso, que não estava sendo satisfeito e que só uma mulher poderia lhe dar?

Leia Gênesis 2:24,25
2. O que significa ser “uma só carne” no casamento, tanto física quanto espiritualmente?
3. Pense num casal que parece verdadeiramente “uma só carne”. Como é o relacionamento entre eles?

Leia Gênesis 3:3-67
4. Esta é uma das passagens mais tristes da Escritura, mas também estabelece a base para tudo o que acontecerá em seguida. Você acha que foi fácil para a serpente enganar Eva? Você acha que a mulher comeu o fruto logo da primeira vez que a serpente ofereceu-o a ela ou será que o diabo só conseguiu convencê-la depois de algum tempo?

Leia Gênesis 3:6-7
5. Quais são as três razões para comer o fruto, segundo o versículo 6?
6. Eva está racionalizando seu pecado aqui. Embora ela soubesse que era errado, conseguiu achar várias razões para comer o fruto da árvore. Que tipo de razões você apresenta para racionalizar o seu pecado?

Leia Gênesis 3:8-13
7. Adão e Eva reproduzem uma cena clássica na transferência de culpa: Adão culpa Eva; Eva culpa a serpente. Qual dos três participantes é o mais culpado?

Leia Gênesis 3:20-24
8. Qual a primeira coisa que Deus fez para Adão e Eva depois de declarar qual seria o castigo deles?
9. Fazer roupas para Adão e Eva é uma atitude muito prática, mas também uma demonstração de carinho. O que isso lhe diz sobre Deus? O que você acha que Ele está disposto a fazer por você depois de ter pecado e se arrependido?

Leia Gênesis 4:1-2
10. Quem Eva reconhece como a fonte da vida?
11. Eva tem agora dois filhos: o nome Caim significa “gerado”, em hebraico, enquanto o nome Abel “significa “sopro”, “temporário” ou “sem sentido”. É o mesmo termo hebraico usado em Eclesiastes 1:2. A vida de Abel não foi absolutamente sem sentido, mas foi curta e seu nome sugere o que estava para acontecer. Compare o nome de Abel com a palavra usada no versículo de Eclesiastes. Que ligação há entre os dois?




SUA PROMESSA
Embutida na maldição lançada sobre Eva por causa de seu pecado, encontramos uma maravilhosa promessa. Deus promete a Eva e às gerações seguintes: “Darás à luz filhos” (Gn 3:16). A graça e a misericórdia de Deus ficam plenamente evidentes, mesmo quando Ele pronuncia um juízo. O Senhor prometeu que a raça humana continuaria, embora anunciando que a morte seria, a partir de então, inevitável.
Ao longo de toda as Escrituras, a graça de Deus se evidencia em todo o esplendor nos juízos que Ele profere. Quando o mundo estava tão cheio de pecado que Deus precisou destruí-lo, a graça divina salvou Noé e sua família. Embora o juízo tenha caído sobre Davi por causa de seu pecado com Bate-Seba, a graça de Deus deu-lhes Salomão como filho e sucessor. Quando os israelitas tornaram-se rebeldes que não restou outra possibilidade senão o cativeiro, a graça de Deus trouxe a promessa de restauração.
Quando você estiver numa fase difícil, prostrada diante de um juízo de Deus, nunca se esqueça de que Sua graça ainda permanece. Isto é maravilhoso!

Promessas nas Escrituras
“Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça” (João 1:16)

“Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, afim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.” (Rm 5:20,21).


SEU LEGADO DE ORAÇÃO
“Criou Deus, pois, o homem à sua semelhança, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gn 1:27)

Medite
Gênesis 2:15-25; 3

Louve a Deus
Por tê-la criado à imagem dEle, tornando-a capaz de refletir o amor, a verdade, a força, a bondade, a sabedoria e a beleza dEle.

Agradeça
Pelo fato de que a promessa de um Redentor que esmagará a cabeça de nosso inimigo, o diabo, acompanha o juízo de Deu sobre Adão e Eva.

Confesse
Sua tendência de obscurecer a imagem de Deus em você dando prioridade à sua vontade sobre a dEle.

Peça a Deus
Que a ajude a submeter sua vida a Ele, a fim de que cumpra o propósito para o qual foi criada.

Eleve o coração
Procure um lugar tranqüilo, cercado da beleza da criação, para meditar em como deve ter sido a vida no Jardim do Éden. Imagine como seria a sua própria vida com paz em todos os relacionamentos, sem qualquer dor física ou emocional, sem jamais se sentir confusa, envergonhada ou com sentimento de culpa, desfrutando sempre o amor e a amizade de Deus. Dê asas a sua imaginação para preencher os detalhes do propósito original de Deus para sua vida e para aqueles a quem ama. A seguir, reflita sobre o fato de que você foi criada para viver no paraíso. As alegrias que experimenta agora são mínimas em comparação com as que a aguardam no céu, pois “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” (I Co 2:9).

ORAÇÃO :
• Orar por uma maior compreensão do plano original de Deus para o mundo e para minha vida.
• Orar para que eu seja capaz de manter em mente apenas as promessas de Deus para mim.
• Orar agradecendo pela morada celestial que Deus está preparando para todos os que pertencem a Ele.
• Orar confessando todo pecado e entregando toda minha vida a Deus, confiando que Ele irá cumprir o Seu propósito para minha vida.